sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Papo de Quadrinho viu: G.I. Joe – A Origem de Cobra

Por Társis Salvatore

Para manter a tradição de respeito deste blog a seus leitores, não há spoilers nesta nota.

Se você tem mais de 30 anos, se lembrará com carinho saudoso dos “Comandos Em Ação” (cujo nome original é G.I.Joe): os bonequinhos articulados colecionáveis (ok, pode chamar de action figures), repletos de acessórios como armamentos e veículos especiais, além de uma galeria de heróis e vilões, e que foram sucesso nos anos 1980.

Alavancado por um desenho animado que passava na TV Globo, os bonequinhos do G.I. Joe eram um sonho de consumo da molecada na época.

Décadas depois, o mesmo cinema norte-americano que explorou personagens de games e se rendeu aos super-heróis dos quadrinhos, investe agora em produções baseadas em produtos colecionáveis. O que não é um problema, já que hoje todos os outros personagens do cinema acabam se transformando em action figures.

E o que esperar de um filme baseado em bonequinhos de brinquedo para meninos?

Depois de acertar a mão com os Transformers, a fabricante de brinquedos Hasbro uniu-se à produtora Bonaventura para fechar o projeto G.I. Joe. Como não bastam efeitos especiais de primeira para fazer um bom filme, a ideia foi resgatar os principais personagens - conhecidos tanto nos brinquedos quanto nos desenhos animados -, atualizar a equipe G.I. Joe e seus veículos especiais, e dar um carater internacional com os maiores agentes especiais de todo o mundo.

O resultado é um filme divertidíssimo, um misto de videogame, James Bond e história em quadrinhos. O bom elenco selecionado para viver os principais heróis e vilões ajudou o diretor Stephen Sommers (Van Helsing; O Retorno da Múmia) a contar uma história coesa criada por Michael B. Gordon (300), para apresentar a equipe G.I. Joe, suas especialidades e habilidades.

O filme tem um bom ritmo, alternando humor, paixão - sem apelação – e, claro, muita ação, perseguição de veículos, destruição de cidades, tiroteio e lutas coreografadas.

Afinal, os G.I.Joe são uma equipe secreta de elite, reunindo os melhores especialistas militares nas mais diversas áreas de combate, cada um com pleno domínio de seus equipamentos especiais. Quando a ameaça é global e tudo mais falhar, os G.I. Joe entram em ação para vencer ou morrer.

Não podemos esquecer os datalhes da produção que enriqueceram o filme: o figurino, os sets principais construídos em tamanho real nos estúdios Downey, em Los Angeles, e claro, os veículos especiais, que vão desde o armamento mega-sofisticado até a vedete do filme, o maravilhoso caça cobra Raven. Para a alegria das crianças (incluindo as grandes), esses heróis e veículos estão sendo lançados no Brasil pela Hasbro.

Seja para relembrar seus heróis de brinquedo dos anos 1980 seja para apresentar aos seus filhos de nove a 14 anos aos “novos” G.I. Joe, dê uma chegada à sua sala de cinema favorita, compre seu combo de pipoca e se divirta com essa aventura repleta de ação desenfreada e pancadaria. E quanto aos personagens colecionaveis da Hasbro, resista se puder.

Uma última informação: para conhecer todos os detalhes da história dos G.I. Joe procure a revista Mundo dos Super-Heróis 17, que traz uma matéria completa do especialista Eder Pegoraro, criador do blog sobre action-figures Sala de Justiça.

Nenhum comentário:

Postar um comentário