sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Morreu Bartolomeu Vaz

Um dos maiores colecionadores e defensor incansável (às vezes radical!) do quadrinho brasileiro, Aparecido Bartolomeu Vaz Pedrosa faleceu no último dia 29, dois dias antes de completar 70 anos, vítima de um enfarte fulminante

Inteligente, culto e educado, Bartolomeu trabalhou por um curto período como argumentista e desenhista no início dos anos 70.

Pela revista Cruzeiro Infantil, publicou seu personagem Cavaleiro Escarlate em 1974. Na mesma época, chegou a desenvolver uma HQ do Capitão Aza, famoso personagem de programas infantis, que nunca foi publicada.

A notícia da morte de Bartolomeu Vaz chegou pelo amigo Fransérgio, que recebeu um e-mail da filha do veterano quadrinhista, Bartira Vaz.

O corpo foi enterrado no cemitério Dom Bosco. No próximo dia 6, a família manda rezar a missa de sétimo dia na igreja Nossa Senhora dos Remédios.

”Eu ajudava o meu pai na net e tenho todas as senhas dele, ele gostava muito de ficar no computador, mas principalmente gostava de quadrinhos brasileiros. Isso sempre foi a vida dele, e mais ainda depois de se aposentar”, diz Bartira no e-mail.

Pensei em encerrar esta nota com o batido “Descanse em paz!”. Mas pelo pouco que conheci Bartô, acho que a última coisa que ele esperaria fazer na outra vida é descansar.



Posso imaginá-lo neste momento, no céu dos quadrinhistas, estendendo uma longa conversa com Gedeone Malagola, Eugênio Collonese, Cláudio Seto e Mark Novoselic.

A caricatura que ilustra esta matéria é uma homenagem póstuma e carinhosa do quadrinhista gente-boa Bira Dantas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário