domingo, 26 de julho de 2009

Papo de Quadrinho viu: Green Lantern: First Flight


Para manter a tradição de respeito aos leitores deste blog, esta nota não contém spoilers.

Com lançamento marcado para esta terça-feira (28), o mais recente longa-metragem animado da DC é também um dos melhores até agora, empatado com DC: A Nova Fronteira.

Ok, é um comentário tendencioso, que denota minha predileção pelo Lanterna Verde...

A origem do personagem é contada rapidamente, quase como uma introdução. É a clássica história do piloto de provas recrutado pelo anel do moribundo alienígena Abin Sur.

Depois disso, sobram quase 80 minutos de pura ação. O desenho não se perde nos psicologismos tão comuns às HQs de hoje em dia; Hal Jordan praticamente não demonstra dúvidas ou insegurança quanto a seu novo papel de defensor do Universo.

Se há alguma ressalva, é quanto à forma como Sinestro, um dos mais destacados membros da Tropa dos Lanternas Verdes, passa para o time dos vilões. As motivações do personagem estão todas lá – especialmente sua obsessão pela ordem – mas o modo como isso acontece difere dos quadrinhos – pelo menos das duas versões mais conhecidas: a primeira, de 1961, e a dos anos 80, publicada na minissérie Amanhecer Esmeralda.

Nada que comprometa, porém, o resultado final. O roteiro é coerente e mantém, pelo menos na essência, as principais características deste e dos demais personagens.

O maior mérito de Green Lantern: First Flight é o respeito a Hal Jordan, o maior Lanterna Verde que já existiu. Neste desenho, ele é apresentado como o homem destemido e determinado que de fato é, com ou sem seu anel.

Enfim, mais um desenho imperdível da DC; agora é esperar por Superman e Batman: Inimigos Públicos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário