quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Trailer de Motion Comic Spider-Woman 3

Antes de mais nada, o texto que a Marvel obriga a publicar junto com o vídeo:

Marvel is proud to unveil new footage from the critically acclaimed Spider-Woman motion comic! The New York Times Best-Selling team of Brian Michael Bendis and Alex Maleev (Halo Uprising) continue Marvel’s first ever original motion comic as Jessica Drew shows the world why Spider-Woman is force to be reckoned with! Spider-Woman Episode 3 hits iTunes on September 16th and no True Believer can afford to miss it! Discover more at www.marvel.com/motioncomics!

(“A Marvel orgulhosamente apresenta... blá-blá-blá...")

Agora sim: A Marvel liberou esta semana o trailer de dois minutos do terceiro capítulo da motion comic da Mulher-Aranha. O episódio completo está disponível a partir de hoje (16) no iTunes por US$ 0,99. A primeira parte pode ser assistida, na íntegra e de graça, aqui.

Para quem ainda não conhece, motion comics é uma técnica de “animação” de quadrinhos por meio da introdução de movimentos, efeitos sonoros, trilha musical e voz. Guardadas as devidas proporções, lembra os saudosos desenhos desanimados dos super-heróis Marvel da década de 60.

A Casa das Ideias anunciou este lançamento com grande estardalhaço na San Diego Comic Con, em julho passado. A ele devem se seguir outros motion comics – Astonishing X-Men: Gifted, de Joss Whedon e John Cassaday, já tem até trailer.

A arte de Alex Maleev – e vou concordar com o quadrinhista e leitor deste blog, Marco Santiago, de que ele é um dos melhores artistas da Marvel na atualidade – casa bem com esta técnica. O roteiro de Bendis é cheio de suspense e não é novidade o amor dele pela Mulher-Aranha, desde a criação dos Novos Vingadores até o papel de destaque da personagem em Invasão Secreta.

O fato é que a DC parece ter incorporado melhor que a Marvel o conceito de motion comic. Em Watchmen, primeira incursão da editora neste segmento, os quadrinhos realmente foram “animados”: os personagens se movimentam mais na tela e, fiel à mídia de origem, foram mantidos os balões de fala. O único senão da motion comic Watchmen é a manutenção de um único narrador para todos os personagens – inclusive os femininos. Perto de Watchmen, Spider-Woman soa estático demais.

Porém, é um bom começo. Perdoem me repetir, mas acredito que esta técnica é o futuro dos quadrinhos digitais – não que a versão em papel vá acabar! É excitante ver uma editora poderosa como a Marvel incluir as motion comics no seu planejamento estratégico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário