sexta-feira, 1 de maio de 2009

Papo de Quadrinho viu: X-Men Origins: Wolverine

Para manter a tradição de respeito deste blog a seus leitores, não há spoilers nesta nota...

A vantagem de não ser fã de determinado personagem dos quadrinhos é que você pode assistir a uma adaptação dele de maneira descompromissada. Gosto de Wolverine como gosto de muitos outros super-heróis, nem mais nem menos. Li muita coisa dele e deixei de ler outras tantas, inclusive a HQ Origem, que serviu de base para parte do filme que estreou hoje nos cinemas.

Assistindo a ele, não sei precisar quanto da cronologia de Wolverine foi alterada nem se as adaptações necessárias vão incomodar os fãs mais fiéis.

Então, no papel de leitor “descredenciado” posso afirmar que X-Men Origins: Wolverine é um ótimo filme de super-herói. O roteiro é bem construído, as cenas de ação são convincentes e Hugh Jackman volta a abraçar o personagem com tal paixão que é difícil não se deixar levar pela trama.

Da mesma forma que uma boa HQ dos X-Men, o longa-metragem tem um grande número de mutantes. Porém, diferente daqueles filmes em que há mais personagens que história, neste cada um deles aparece na medida suficiente para cumprir seu papel. Neste quesito, destaque para Gambit, que tem carisma e potencial para ganhar maior destaque em futuros filmes da franquia.

Uma alteração notória com relação às HQs é o que levou Wolverine a se tornar a Arma X. É diferente de tudo que já li e assisti a respeito (inclusive na nova animação Hulk vs. Wolverine). Mas, sinceramente, esta passagem do filme está tão bem amarrada ao roteiro que não importa.

Sim, o filme tem seus momentos piegas. Cenas desnecessárias, como Wolverine andando para a câmera enquanto uma parede de fogo cobre o fundo ou quando ele carrega Raposa Prateada no colo em direção ao pôr-do-sol. São poucas, descartáveis e não comprometem o resultado final.

Dois momentos ainda merecem menção. Um deles é a sequência dos créditos iniciais, com Wolverine e Dentes-de-Sabre lutando lado a lado nas mais diferentes guerras, da Secessão ao Vietnã, um cuidando do outro, como os irmãos devem fazer.

A outra é o final, que reserva a agradável aparição surpresa de um importante personagem do Universo Marvel e faz a deixa para os fatos futuros que viriam a ser apresentados no primeiro filme dos X-Men.

Resumindo: X-Men Origins Wolverine é uma excelente diversão. Respeita o leitor de quadrinhos e tem todos os ingredientes para agradar os leigos. Vá assistir. Correndo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário