segunda-feira, 20 de abril de 2009

Papo de Quadrinho viu: Contos do Cargueiro Negro

A “história dentro da história” de Watchmen ganhou uma animação por ocasião do lançamento do filme e está disponível em DVD e Blu-Ray desde 24 de março.

Com duração de 25 minutos, o desenho tem produção e roteiro co-escrito pelo diretor de Watchmen, Zack Snyder. O personagem principal foi dublado por Gerard Butler, o Leônidas de outra adaptação dos quadrinhos dirigida por Snyder, 300.

Contos do Cargueiro Negro é uma HQ fictícia narrada paralelamente aos eventos de Watchmen. É, ao mesmo tempo, uma homenagem aos quadrinhos clássicos de piratas e terror e uma metáfora da trama principal, em que um homem comete atos hediondos pensando no bem comum.

A história conta a tentativa desesperada de um náufrago para salvar a cidade de Davidstown depois que teve seu navio atacado pelos sanguinários piratas do Cargueiro Negro. Navegando uma balsa construída com os cadáveres de sua tripulação, o capitão enfrenta tubarões, a fome, a solidão e a loucura. Quando finalmente chega a seu destino, descobre dolorosamente que se transformou no próprio horror que pretendia combater e se junta à tripulação maldita do Cargueiro Negro.

O desenho foi produzido de forma competente. O problema é que narrada assim, de uma só tacada, a história perde aquilo que tem de mais impressionante nos quadrinhos: a tensão crescente, a forma como que, homeopaticamente, o leitor vai sendo conduzido para dentro da loucura do capitão de Davidstown.

Na adaptação para a linguagem animada, algumas falas (poderosas) criadas por Alan Moore foram suprimidas, enquanto que algumas sequências, dramatizadas. Claro, faz parte dos ajustes necessários na transição de uma mídia para outra, mas a conclusão é que Contos do Cargueiro Negro funciona muito melhor nos quadrinhos que no desenho animado.

A trilha sonora dos créditos finais é um capítulo à parte: Pirate Jenny (1928), de Bertolt Brecht e Kurt Weill , interpretada por Nina Simone. “(...) And the ship / The black freighter /Disappears out to sea / And On It Is Me”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário